Brindes de Cultura

Brindes de Cultura: Textos elaborados, dados concretos e opinião sobre Enologia, Vitivinicultura e agronomia

Sobre o Autor:

Minha foto
Santa Maria, RS, Brazil
Acadêmico de Agronomia UFSM, atuando na área de Enologia e Vitivinicultura. Um homem de opinião.

segunda-feira, 2 de julho de 2012

O vinho brasileiro é bom?



    Nas últimas duas décadas o Brasil deu um salto em produção vitivinícola. Na Serra Gaúcha a conversão dos vinhedos de latada para espaldeira, de cultivares americanas para europeias, de tanques de madeira para inox, o uso do Thermal Pest Control, o desenvolvimento do enoturismo, as indicações geográficas... Enfim, uma série de fatores decorrentes desse crescimento sustentou e potencializou o crescimento da indústria vitícola, contando ainda a “descoberta” de novas regiões no país com potencial para produção de excelentes vinhos. As vinícolas alcançaram grandes produtividades em safras em que o clima ajudou, ainda com novas áreas, somando recordes de produtividade.  

     Porém, o consumo no país pouco aumenta e a participação dos nacionais nesse mercado deixa a desejar. Sendo assim, as vinícolas passaram a acumular estoques devido à baixa quantidade demandada. Apesar de todos esses esforços, das campanhas, investimentos e do desenvolvimento da vitivinicultura brasileira, o vinho brasileiro não caiu no gosto do consumidor.  Há pouco acesso a vinhos brasileiros de qualidade a preço acessível e por isto, muitos ainda preferem um importado barato e sem defeitos a um brasileiro caro e com riscos.

     O preconceito quanto à qualidade de nossos vinhos existe e é uma barreira a ser vencida, mas não basta marketing e publicidade para convencer os consumidores a provar o produto nacional. Temos que fazer jus a esse crescimento oferecendo vinhos de excelente padrão. O vinho tranquilo brasileiro ainda não provou sua qualidade ao consumidor, que, após provar e se desgostar da relação custo X benefício verde-amarela, volta a consumir importados.

     Há vinhos brasileiros excelentes e de qualidade inquestionável. É fato que existem vinhos brasileiros ruins, mas o desconhecimento dos nacionais de qualidade e o preconceito existem por causa destes. É necessário produzir e disponibilizar vinhos realmente bons e não apenas “famosos” ao consumidor, tornando isso algo corriqueiro. Se buscarmos e alcançarmos esse ideal, esse objetivo, será muito mais fácil do que agora vencer o preconceito e responder ao consumidor sem medo, comprovando na taça: O vinho brasileiro é bom!


10 comentários:

  1. Leandro, muito bom o post
    Pessoalmente, considero o vinho brasileiro muito bom.
    Um abraço e saúde!
    Tiago Bulla
    www.universodosvinhos.com

    ResponderExcluir
  2. O vinho brasileiro é bom, mas é preciso saber o que comprar e aonde.

    Sugiro o post recomendar sempre que encontrar um vinho brasileiro de qualidade com boa custoXbenefício.

    Falta-nos informação para consumirmos mais vinhos nacionais.

    Grande abraço

    ResponderExcluir
  3. Temos bons vinhos nacionais? Sim, temos! Quantos vinhos valem o preço cobrado? Pouquíssimos! Na média os vinhos nacionais são bons? Não, ainda são muito ruins. O que Fazer para melhorá-los? Investimentos globais (tecnologia, marketing etc...) e menos impostos para serem mais competitivos. Salvaguarda jamais!!!

    Grande abraço,

    Flávio Campos

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  5. Existem vários vinhos bons no país sendo vendidos a bons preços. Falta ainda o consumidor apurar o seu paladar, ao invés de procurar sugestões de críticos, já que estes, na sua maioria, recebem para indicar vinhos importados (e alguns nacionais também).

    ResponderExcluir
  6. Olá Alexandre,
    Vc que é expert em vinhos Brasileiros me liste vinhos nacionais que são melhores e custam o mesmo no Brasil (eles custam pelo menos a metade do preço nos seus países de origem) que os vinhos abaixo listados:
    - Calia Alta Shiraz/Cabernet - R$ 25,00
    - Vega Sauco Piedras Crianza - R$ 49,00
    - Brancaia TRE IGT - R$ 70,00
    Será que tem????? Será que o Miolo Reserva "salvaguarda" é melhor que o três???
    Abraço,
    Flávio

    ResponderExcluir
  7. Olá Flávio,

    Rio Velho Tannat 2009 - Rosário do Sul/RS - R$12,00
    Casa Venturini Tannat 2008 - Flores da Cunha/RS - R$38,00
    Valmarino Cabernet Franc 2005 - Pinto Bandeira/RS - R$50,00

    Para citar três.
    E não esqueça de citar a safra Flávio: cada vinho é único (exceto assemblages de safras).

    Abraço,
    Alexandre

    ResponderExcluir
  8. Olá Alexandre,
    Não citei as safras, pois os vinhos por mim listados tiveram uma boa consistência nas últimas safras. Quanto aos vinhos relacionados por você, confesso que só conheço o Valmarino Cabernet Franc 2005 que é um bom vinho, mas N.H.O é muito inferior ao Vega Sauco e ao Brancaia. Vou procurar conhecer os outros e agradeço pelas dicas.
    Abraço,
    Flávio

    ResponderExcluir
  9. Olá Flávio,

    Podes conseguir o Tannat da Rio Velho com o contato no site da Associação dos Vinhos da Camapanha. E o da Casa Venturini no site www.casaventurini.com.br. Este último é com uvas da Campanha Gaucha também.

    Abraço,
    Alexandre

    ResponderExcluir
  10. O principal problema do vinho brasileiro é o preço: é muito caro para a qualidade que tem, principalmente no mercado de vinhos finos. Se o preço do nacional baixasse, ele poderia ser muito mais consumido pelos apreciadores, já que a qualidade tem melhorado bastante.

    ResponderExcluir